Exercícios de Vida

Ciência e Saber

Home » Ciência e Saber » A Medicina Holística – Dr. Alírio de Cerqueira Filho

A Medicina Holística – Dr. Alírio de Cerqueira Filho

17 de setembro de 2008

Em nossa cultura vivemos quase sempre buscando combater a doença, haja vista o número de remédios, farmácias, hospitais, etc. que as pessoas buscam no sentido de se libertarem dos seus males, e, no entanto elas continuam doentes e mais ansiosas por se verem livres das doenças, num círculo vicioso. Saem de uma doença e surge outra e assim sucessivamente. Novas doenças aparecem a cada dia, doenças milenares ressurgem com toda força. Tudo isso acontece num momento em que a medicina conta com recursos avançadíssimos de diagnóstico e tratamento.

Por que isso acontece?

Talvez este seja um momento para que comecemos a refletir sobre qual é o verdadeiro significado da doença em nossa vida. Em uma visão holística, a doença, seja ela física ou mental, é apenas um sinal de que alguma coisa não vai bem com a pessoa. Normalmente o organismo nos sinaliza através das disfunções em determinados órgãos que são mais frágeis, órgãos estes que variam de pessoa para pessoa. Essa disfunção pode acontecer no fígado, no coração, nos rins, etc. Outras vezes as disfunções acontecem na mente, como é o caso de doenças como a depressão, a síndrome do pânico, a esquizofrenia, etc. A doença é um processo de bloqueio nas energias que compõem o ser humano. Estes bloqueios são causados por fatores psíquicos e emocionais. Todos nós possuímos determinados conflitos psicológicos que, normalmente, não são tratados adequadamente pelo indivíduo. Como se diz popularmente, “problemas, a gente empurra com a barriga”. Resultado, esses conflitos vão se acumulando como se fossem uma panela de pressão da qual tapamos a válvula de escape do vapor. Chega um momento em que a pressão é tanta que estoura. Isso vai acontecer no corpo físico, onde o conflito é somatizado, na forma de doenças físicas as mais diversas, ou na mente, onde o conflito acumulado, se transforma em uma neurose (depressão, ansiedade, etc.) ou pior ainda numa psicose (esquizofrenia, psicose maníaco-depressiva, etc.).

Torna-se fundamental, portanto, desenvolver uma nova postura em relação às doenças que possuímos. Em uma visão holística, querer se livrar da doença não significa a mesma coisa que buscar a saúde. Podemos utilizar remédios, cirurgias, e outros métodos para conseguir saúde, mas qualquer método que venha de fora para dentro, por mais valioso que seja este recurso, vai apenas aliviar a doença, mas, jamais nos poderá dar a saúde. Desenvolver a saúde requer todo um movimento do indivíduo em direção a ela. Não é possível se livrar da doença, através de uma atitude doentia de ansiedade, inquietação no sentido de arrancá-la de nós, através de recursos que venham de fora para dentro, pura e simplesmente. Isso pode nos trazer um alívio temporário para que, posteriormente, possamos agir de uma outra maneira. E necessário desenvolver uma postura saudável, onde com serenidade, vamos buscar a causa da doença, e, assim, com base nesta causa, poder transformá-la e, com isso, conquistar a saúde.

Existe um novo gênero de médico/terapeuta, atualmente em expansão, que busca entender o funcionamento dos seres humanos a partir de uma revolucionária perspectiva de acordo com a qual a matéria é uma forma de energia. Esses cientistas espiritualistas, encaram o corpo humano como um modelo instrucional graças ao qual poderemos começar a entender, não apenas a nós mesmos, mas também o funcionamento interno da natureza e os segredos do universo. Através da percepção de que os seres humanos são constituídos de energia, podemos começar a compreender novos pontos de vista a respeito da saúde e da doença. Essa nova visão quântica deve proporcionar aos médicos e terapeutas do futuro, não apenas uma perspectiva única a respeito das causas das doenças, como também, métodos mais eficazes de curar as enfermidades que afligem os seres humanos. O ramo da ciência – atualmente em grande desenvolvimento – levará a humanidade a esse novo nível de compreensão à medicina holística juntamente com a psicologia transpessoal.

Ela busca curar as doenças e transformar a consciência humana atuando sobre os padrões energéticos que dirigem a expressão física da vida. Acabaremos descobrindo que a própria consciência é uma espécie de energia que está integralmente relacionada com a expressão celular do corpo físico. Assim, a consciência participa da continua criação da saúde ou da doença. A ciência holística, na condição de ciência do futuro, talvez nos proporcione indicações que ajudem os médicos a descobrirem por que algumas pessoas permanecem sadias enquanto outras estão o tempo todo doentes.

Só haverá uma medicina verdadeiramente holística quando os médicos vierem a adquirir uma melhor compreensão a respeito dos profundos inter-relacionamentos entre o corpo, a mente e o espírito, e a respeito das leis naturais que regem suas manifestações no nosso planeta. Nós somos, na verdade, um microcosmo dentro de um macrocosmo, como os filósofos orientais há muito compreenderam. Os princípios observados no microcosmo, freqüentemente refletem os princípios mais amplos que governam o comportamento do macrocosmo. Os padrões de organização da natureza repetem-se em muitos níveis hierárquicos. Se uma pessoa puder compreender as leis universais, tal como elas se manifestam na matéria no nível do microcosmo; ela também terá mais facilidade para compreender o Universo como um todo. Quando os seres humanos compreenderem realmente as estruturas físicas e energéticas de suas mentes e corpos, estarão muito mais perto de compreenderem a natureza do Universo e das forças criativas que os ligam a Deus.

Texto extraído do Jornal Corpo Mente
Feira de Santana – outubro de 2002

Jornal Corpo Mente

Tags:

veja mais:

Faça um comentário